Terça-feira, 1 de Abril de 2008

12

Maria

O que é que se passou aqui? - pergunta ofegante.

Joana

Ui ui... Ainda bem que não fui eu. - diz, enquanto olha para o chão.

Tomás

O teu marido beijou-me. – diz, enquanto esfrega a zona da cara onde José o beijou.

José

Mas o que estás a fazer aqui, na minha casa? – diz, irritado.

Tomás

Não mudes de assunto. Não quero mal entendidos com a tua mulher. Por que é que me deste um beijo?

José

O que raio estás a fazer na minha casa? – diz, ainda mais irritado.

Madalena

Por favor – diz, entre gargalhadas – Contem-me depressa o que se passou, pois tenho a certeza que vou adorar.

José

Foi tudo um engano. Um estúpido engano. - diz, irritado.

Tomás

Olha que foi um beijo demasiado carinhoso para ser um simples engano.

José

Deixa de ser parvo. O que raio estás aqui a fazer? Como é que entraste? - pergunta, irritado, a Tomás.

Madalena

Maninho, não tentes mudar de assunto e conta-me a história, por favor. - diz, divertida.

José

Não há história nenhuma. – diz, irritado – Apenas um engano em relação a quem eu julgava estar a dar um beijo.


Maria abana a cabeça e vai buscar um balde e uma esfregona. Joana segue-a.


Joana

Vais pôr o pai de castigo?

Maria

Não é preciso. - diz a rir – A tia Madalena já está a fazer isso por mim.


Quando regressam, Madalena praticamente rebola no chão a rir, enquanto Tomás e José contam a sua versão do que se terá passado.


José

Mas o que é que estavas aqui a fazer? - diz, continuando irritado, principalmente com as gargalhadas de Madalena.

Tomás

Acordei cedo e aproveitei para começar a trabalhar.

José

A trabalhar??? - diz, enquanto aponta para o chão, cheio de restos do “banquete” que Tomás estava a fazer na poltrona preferida de José.

Tomás

Não ia começar de estômago vazio! E não queria acordar ninguém. Ia fazer-vos o pequeno almoço. Queria fazer uma surpresa.

Madalena

Que querido. - deixa escapar, no meio do seu riso.

José

Mas como é que tu entraste? – diz, ainda irritado.

Tomás

A tua mulher deu-me uma cópia das chaves de casa para que eu me sentisse aqui sempre bem vindo.


José olha para Maria com olhares acusadores


Maria

Dei-lhe as chaves para o caso de alguma eventualidade, termos num sítio seguro uma cópia das mesmas.

José

E por que razão não as deste à minha irmã? - pergunta, ao mesmo tempo que se volta irado para a irmã, por esta ainda não ter parado de rir. - Sitio mais seguro não há. Nela já ninguém toca.


Madalena pára de rir, olha para José desiludida e sai, magoada. Maria olha para José, irritada.


Joana

Vou lavar os dentes. - diz, saindo da sala.

Maria

É a tua irmã e foste tu que a convidaste e vir morar connosco. Toma a esfregona. Quero isto tudo muito bem limpo, pois eu vou ter que limpar algo bem mais sujo que tu fizeste. - diz, saindo atrás de Madalena.


Tomás vendo o ambiente tenso, tenta sair discretamente.


José

Nem penses! Quero esta merda bem limpa, e tu vais-me ajudar. - diz, enquanto passa a esfregona a Tomás e agarra no balde cheio de água. Por dentro continua irritado, mas agora, apenas e só consigo.

Tomás

Está bem. Eu ajudo. Desde que no fim não me dês nenhum beijo como sinal de agradecimento.


José não resiste e despeja toda a água do balde para cima de Tomás. Embora continue irritado consigo, sente algum alivio e sorri.

publicado por Luis às 18:17
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Violeta a 2 de Abril de 2008 às 04:45
Má onda José! Tadita da Madalena. E pensar que tudo era inicialmente p a agradar a ela. Estas novelas da vida real são lixadas. Epah, acontece, mas... má onda...
De PR a 2 de Abril de 2008 às 17:57
Temos aí um escritor ;)

http://pequenos--apontamentos.blogspot.com
De Fallen, The Countess a 3 de Abril de 2008 às 13:49
Kakakakakakaka... Não há pai para este gajo!!! Meus parabéns!!! Qual morangos com açucar qual quê!!! Gostei ;)
De Paris Brest a 5 de Abril de 2008 às 01:18
Muito bem contado, sim senhor!
Pobre José! Que rica maneira de começar o dia... Nestes casos, só apetece voltar para a cama e fazer "reset"!

E não poderia dar um jeito para não demorar tanto tempo entre os posts?... Bem sei que às vezes vêm dois de uma vez, mas... Pelo menos nesta fase!...
De danitri.® a 5 de Abril de 2008 às 11:22
Foi um bocado mau, parece-me que o José tem um feitiozinho lixado.

loll

Agora tem que fazer qualquer coisa para remediar isso.

- muito bom, cada vez gosto mais de ler esta história -

Comentar post

.mais sobre mim

."Capítulos"

. 20

. 19

. 18

. 17

. 16

. 15

. 14

. 13

. 12

. 11

. 10

. 9

. 8

. 7

. 6

. 5

. 4

. 3

. 2

. 1

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Olha! Interacção!

E agora?
Merecemos 200 chicotadas por termos pensado que não sabias o que fazer à história
Merecemos 500 chicotadas por pensarmos que a série acabava aqui
Temos que depositar largas quantias de dinheiro da tua conta para que nos possas perdoar
A ciática ainda chateia, e o trabalho também, pelo que vamos a ver quando sai o próximo.
Pois, mas eu penso que continuas sem saber o que vai sair daqui.
E estas interacções ainda continuam!?
  
pollcode.com free polls
blogs SAPO

.subscrever feeds